DEUS NÃO É RELIGIÃO OU SEITA, POIS RELIGIÕES E SEITAS SÃO COISAS DOS HOMENS E MULHERES, COMO AS CRENDICES.

E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. João 8:32 - Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade. João 17:17 - Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim tem a vida eterna. João 6:47 - Porque nada podemos contra a verdade, senão pela verdade. 2 Coríntios 13:8

 

Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
PALAVRA10
O QUE VOCÊ ACHA DESTE SITE?
ÓTIMO
BOM
REGULAR
Ver Resultados

Rating: 2.9/5 (3111 votos)







Partilhe este Site...

 

 


DEUS NA PRÉ-HISTÓRIA - 2º VOLUME
DEUS NA PRÉ-HISTÓRIA - 2º VOLUME

DEUS NA PRÉ-HISTÓRIA

A ciência não nos dá certeza do início do homem no planeta terra. Se os símios foram nossos precursores, deveríamos ter a certeza de como foram gerados, desta forma entendemos que este Planeta Terra foi um grande Laboratório de DEUS, e o que permaneceu foi muito bem estudado, para que o homem e a mulher pudessem viver e reproduzir com segurança.   

 

PERÍODO ANTERIOR A EXISTÊNCIA HUMANA

 

Qual é a primeira ideia que surge na nossa cabeça quando nos deparamos com o prefixo “pré”? Geralmente, acreditamos que este recurso da língua tem como função apontar para algum período ou momento que antecede a existência ou realização de algo. Partindo desse pressuposto, quando observamos o termo “pré-história”, somos levados a crer na existência de um tempo que foi justamente anterior à História.

Mas realmente houve uma época em que a “História” simplesmente não existiu? Se partirmos da ideia de que estudamos a história dos homens, deveríamos compreender então que a “Pré-História” faz menção a todos os acontecimentos, experiências e fatos que são anteriores à própria existência humana. Contudo, ao abrimos o livro didático, observamos a estranha presença dos “homens pré-históricos” nesse período que se inicia há cerca de 2 milhões de anos e vai até 5000 a.C..

Para compreendermos esta divergência, devemos levar em conta que as formas de se organizar o passado são múltiplas. No nosso caso, muitos dos livros de história adotam as convenções de uma periodização estabelecida no século XIX. Para os historiadores daquela época, só era possível reconhecer ou estudar o passado através do manuseio de fontes escritas. Por isso, a “Pré-história”, na visão destes estudiosos, abarca toda a experiência do homem anterior ao desenvolvimento da escrita.

Atualmente, com a transformação dos sentidos da ciência histórica, sabemos que os homens pré-históricos não podem ser arbitrariamente excluídos da “História”. Por meio dos vestígios materiais, pinturas e outras manifestações, vários historiadores se lançam ao instigante desafio de relatar sobre o passado dos homens que viveram há milhares de anos. Ao contrário do que muitos pensam, estes não eram simples versões mais próximas dos primatas ancestrais.

Nesse diversificado período, podemos observar a luta travada pelos primeiros homens em seu processo de adaptação às hostilidades impostas pela natureza. Ao longo desse processo de dominação, também é possível ver que estes sujeitos da história não estavam somente preocupados em garantir a sua sobrevivência. Por meio da pintura rupestre, podemos dialogar com os comportamentos, valores e crenças que surgem nesse remoto tempo.

Sem dúvida, as restrições e a limitação das fontes disponíveis dificultam bastante a compreensão do tempo pré-histórico. Entretanto, mesmo com o pouco que nos chega, podemos ver que o conceito elaborado no século XIX está bastante afastado de todo o conhecimento que essa época pode oferecer. Com isso, apesar dos problemas com seu nome, podemos afirmar que a pré-história esteve mais presente na História do que nunca.

 

PRÉ HISTÓRIA

 

A Pré-história corresponde ao período da história que antecede a invenção da escrita, evento que marca o começo dos tempos históricos registrados, e que ocorreu aproximadamente em 3500 a.C. É estudada pela antropologia, arqueologia e paleontologia.

Também pode ser contextualizada para um determinado povo ou nação como o período da história desse povo ou nação sobre o qual não há documentos escritos. Assim, no Egito, a pré-história terminou aproximadamente em 3500 a.C., embora algumas culturas da Idade da Pedra tenham coexistido com as civilizações após essa data e algumas tribos ágrafas ainda existam em locais remotos.

A transição para a "história propriamente dita" se dá por um período chamado proto-história, que é descrito em documentos ligeiramente posteriores ou em documentos externos. O termo pré-história mostra, portanto, a importância da escrita para a civilização ocidental.

Uma vez que não há documentos deste momento da evolução humana, seu estudo depende do trabalho de arqueólogos, antropólogos, paleontologia e genética ou de outras áreas científicas, que analisam   restos humanos, sinais de suas presenças e utensílios preservados para tentar   traçar, pelo menos parcialmente, sua cultura e costumes.

 

HISTÓRIA DA INVESTIGAÇÃO SOBRE A PRÉ HISTÓRIA

 

Charles Darwin chamou a atenção dos cientistas de seu tempo, ao afirmar que as espécies evoluíram e que o homem descende dos primatas.

Em 1823 é descoberto o primeiro fóssil dum ser humano moderno, em 1829 de um neanderthal, em 1848 e 1856 mais fósseis de neanderthais, em 1859 Charles Darwin publica a origem das espécies. Em 1863 os Neanderthais são classificados. Em 1865 Gregor Mendel publica os resultados das suas experiências genéticas.

 

PRIMÓRDIOS

 

Há certas dúvidas sobre quais foram exatamente os nossos antepassados mais remotos. Os seres humanos modernos só surgiram há 150 mil anos. Os humanos são primatas e pertencem ao grupo dos grandes símios, sendo originais de África.

Depois dos últimos ancestrais em comum com o orangotango há 15 ou 14 milhões de anos (época dos antepassados de todos os grandes símios atuais), com o gorila há 10-8 milhões de anos e como o chimpanzé há 7-5 milhões de anos. É nessa época que o continente africano sofre uma série de mudanças. Naquela época toda a zona equatorial estava coberta por uma selva tropical, a África de há 8 milhões de anos era mais húmida que a atual, mas depois aconteceu vária mudanças climáticas devidos aos pólos, até que desde há 7 milhões de anos a floresta tropical tem diminuído.

Entre há 7 e 6 milhões de anos surgiram em África duas espécies que pertenceram aos primórdios da evolução homínidea foram o Sahelanthropus tchadensis com um misto de caraterísticas humanas e símias, e o Orrorin tugenensis já bípede mas que não se sabe o tamanho do cérebro, que no Sahelanthropus era de 320–380 cm cúbicos. Os homínideos da época habitavam a África subsariana e na Etiópia e Tanzânia, ou seja na África Oriental. Seguiram-se a esses primeiros homínideos os Ardipithecus e mais tarde (há 4,3 milhões de anos até há 2,4 milhões) os australopithecus, descendentes dos ardipithecus.

 

AUSTRALOPHITECUS

 

Tinham (os australopithecos) maiores cérebros, pernas mais longas, braços menores, e traços faciais mais parecidos aos nossos. Os australopithecus viviam em grupos constituídos por várias dezenas de indíviduos, que viviam em constante deslocação. Os grupos de várias dispersavam-se quando a seca chegava e a comida escasseava. Os autralophitecus tinham provavelmente o conceito de casais, mas não o de família.

 

O GÊNERO HOMO

 

Há 2,5 milhões de anos surge o gênero Homo, Homo habilis na África oriental, com ele começam-se a usar ferramentas de pedra totalmente feitas por eles (começando o Paleolítico) e carne passa a ser mais importante na dieta do Homo Habilis. Eram caçadores e tinham um cérebro maior (590–650 cm cúbicos), mas tinham braços compridos.

Mas os Habilis não eram apenas caçadores, pois também eram necrófagos e herbívoros.

Havia outras espécies como o Homo rudolfensis que tinha um cérebro maior e era bípede e existiu durante a mesma época que o Homo habilis. Há dois milhões de anos surgiu o Homo erectus de constituição forte, com um cérebro muito maior (810–1250 cm cúbicos), rosto largo e foi o primeiro homínideo a sair de África existindo na África, Ásia e Europa, existindo até há 500 mil anos. É o primeiro a usar o fogo. Há 300 mil anos já tinha estratégias elaboradas de caça a mamíferos corpulentos.

A era glacial começou há 1,5 milhões de anos e o nível do mar desceu 90 metros.

 

PARTIDA DA ÁFRICA

 

Há uns 50.000 anos, os seres humanos lançaram-se à conquista do planeta em diferentes rumos desde África. Um rumo alcançou a Austrália. A outra chegou a Ásia Central, para logo se dividir em dois, uma a Europa, e a outra caminhou até cruzar o Estreito de Bering e chegou à América do Norte. As últimas áreas a ser colonizadas foram as ilhas da Polinésia, durante o primeiro milênio d.C..

 

NEANDERTHAIS

 

Os Neanderthais eram robustos, com um cérebro grande, e viviam na Europa e oeste da Ásia. Sobreviveram até 24 mil anos atrás e coexistiram com os modernos Homo sapiens sapiens, apesar de estudos de ADN provarem que não podiam reproduzir-se entre si.

 

ORIGEM DOS HOMENS MODERNOS

 

A origem dos Homo Sapiens atuais é bastante discutida, mas a maioria dos cientistas apoia a teoria da Eva Mitocondrial, apoiada por testes genéticos, em vez da teoria evolução multirregional que defende que os seres humanos modernos evoluíram em todo o mundo ao mesmo tempo a partir das espécies Homo lá existentes e que se reproduziram entre si entre as várias migrações que supostamente fizeram. Os primeiros fósseis totalmente humanos foram encontrados na Etiópia há 160 mil anos.

A teoria da Eva Mitocondrial considera que houve uma segunda vaga de espécimes Homo, desta vez homens modernos, há cerca de duzentos mil anos atrás, e que todos os seres humanos descendem de um grupo muito reduzido de mulheres desta época.

Há 75 mil anos a população humana deixou de crescer, muito provavelmente devido à catástrofe de Toba, uma explosão vulcânica,18 que, segundo alguns cientistas, ate fez a populção descer para 10 mil.

 

CAPACIDADE DE COMUNICAÇÃO

 

A origem da fala humana tem sido muito controversa. Mas apesar do Homo Habilis e Homo Erectus já terem alguma, houve uma evolução há possivelmente 250 mil anos atrás, mas o grande salto em frente só ocorreu há 40 mil anos, quando os seres humanos modernos desenvolveram uma linguagem semelhante à nossa.

 

ARTE PRÉ-HISTÓRICA

 

Vênus de Laussel, estatueta talhada num bloco de pedra calcária dura; representa a uma mulher despida, que na mão direita sustem um corno de bisão.

Há cerca de 35 mil anos a.C. surgiu a arte paleolítica na Europa. Há 25 mil anos (sempre antes de Cristo), surgiram as figurinhas de Vénus. Há 21 mil as pinturas rupestres em Altamira e Lascaux, mais pequenas esculturas. A Vénus de Willendorf considera-se um símbolo da fertilidade, tem 11 cm de altura e é de há 24 mil - 22 mil anos a.C..

Apesar de convencionar-se a consolidação da religião no período Neolítico, a arqueologia registra que no Paleolítico houve uma religião primitiva baseada no culto a uma Deusa mãe,25 26 27 28 ao feminino e a associação desta ao poder de dar a vida.29 Foram descobertas, no abrigo de rochas Cro-Magnon em Les Eyzies, conchas cauris, descritas como "o portal por onde uma criança vem ao mundo" e cobertas por um pigmento de cor ocre vermelho, que simbolizava o sangue, e que estavam intimamente ligados ao ritual de adoração às estatuetas femininas; escavações apresentaram que estas estatuetas, as chamadas vênus neolíticas eram encontradas muitas vezes numa posição central, em oposição aos símbolos masculinos localizados em posições perféricas ou ladeando as estatuetas femininas.

 

MESOLÍTICO

 

Mesolítico ( 10.000 a.C a 5.000 a.C ) é o termo empregue para denominar o período da pré-história que serve de transição entre o Paleolítico e o Neolítico, e presente (ou pelo menos, com duração razoável) apenas em algumas regiões do mundo onde não houve transição direta entre esses dois períodos. Significa Idade Média da Pedra (do grego μεσος, mesos =médio; e λίθος, líthos =pedra) por contraposição ao Paleolítico (Idade Antiga da Pedra) e ao Neolítico (Idade Nova da Pedra), identificando-se com as últimas sociedades de caçadores-coletores.

 

Invenção da agricultura

 

Há 10 mil anos a.C., praticamente não havia agricultura, mas em 6000 mil anos os conjuntos de humanos com capacidade para criar animais e cultivar plantas passariam a ser produtores. A agricultura foi inventada em várias partes do mundo, comumente em épocas diferentes, independentemente das outras áreas. Primeiro foi no Médio Oriente, mais precisamente no Crescente Fértil, em 10 mil a.C., onde se espalhou para várias zonas do mundo, como o Norte de África (excluindo o Egito) e os Balcãs há 6 mil a.C.

 

DESCOBERTAS DOS METAIS

 

Há oito mil anos inventou-se a fundição do cobre. A metalurgia surgiu na Anatólia e na Mesopotâmia (Turquia e Iraque atuais) em aproximadamente 5000 a.C., e até 4000 a.C. espalhou-se até ao planalto do Irão, Cáucaso e delta do Nilo, até 3000 a.C. dirigiu-se até ao sul da Europa, da Polónia e da Alemanha, França, ilhas britânicas, e depois até 2000 a.C. à Dinamarca, resto da Polónia, parte dos países bálticos e Bielorrúsia.

 

LISTAS DE ANIMAIS PRÉ-HISTÓRICOS

 

Esta é uma lista de animais pré-históricos, que se extinguiram antes do aparecimento do Homem moderno. Estão também incluídos animais contemporâneos ao homem primitivo. Para os animais que se extinguiram em tempos mais recentes, veja lista de animais extintos.

 

ANTECESSORES DOS ANIMAIS

 

Urmetazoan - o primeiro animal da face da Terra. Evoluiu a partir dos Choanozoários.

Urbilaterian - o primeiro animal de simetria bilateral da face da Terra.

Filo Choanozoa - Elos-perdidos entre os Protistas unicelulares e os animais, assim como também os fungos (por parte da família Nucleariidae que por vezes é tida até como um grupo separado dos Choanozoários). Grupo em que se encontra todo o Reino Metazoa. Em algumas classificações, os Choanozoários são tidos como dentros do Reino Animal, sendo por isso tidos por vezes como os únicos animais unicelulares.

Classe Choanoflagellatea- Grupo irmão do Reino Metazoa. Grupo em que também se encontram todo o Reino Metazoa

Gênero Proterospongia - Como um formador de colônias de coanoflagelados, Proterospongia é do interesse dos cientistas no estudo dos mecanismos de comunicação e adesão celular como ancestral dos animais. Os coanócitos dos Poríferos parecem-se com os Choanoflagelados. Os Poríferos são muito próximos a uma colônia celular de coanoflagelados, (o que mostra o provável salto evolutivo de unicelulares para pluricelulares) pois cada célula alimenta-se por si própria.

 

INVERTEBRADOS - Lista de Filos Fósseis

 

Filo Archaeocyatha - Às vezes tido como pertencentes ao Filo Porifera, atualmente são classificados como um filo à parte.

Filo Conulariida- Ordem de cnidários schyphozoários às vezes tido como um filo à parte. Também são conhecidos como Conulata.

Filo Conodonta - Classe de peixes agnatha primitivos, às vezes são tidos como nem sendo cordados, pela possibilidade de serem quetognatos. Às vezes são tidos como um filo à parte.

Filo Scerotoma - Diferentes formas com escleritos

Filo Vendozoa - Sinônimo de fauna ediacarana. Possivelmente nem animais sejam. Para alguns biólogos, O Filo Vendozoa não pertence mais ao Reino Animal, e sim a um reino à parte: o Reino Reino Vendobionta, que também incluiria o filo Petalonamae, onde se encontra a ordem Rangeomorpha.

Filo Lobopodia - Filo de possíveis artrópodes ou animais relacionados com esse filo. Inclui os famosos Anomalocaris e Opabínia. Também inclui todos os Onychophora e os Tardigrada.

Filo Vetulicolia - Talvez podem estar relacionados com o surgimento dos primeiros peixes vertebrados agnatha.

Filo Hyolitha - Filo dos antepassados dos moluscos. Possivelmente podem ser uma classe de moluscos.

Filo Trilobozoa - Um filo Eumetazoa Incertae Sedis

Filo Proarticulata - Pertencentes ao grupo Bilateria.

Filo Petalonamae - Proposto filo do Reino Vendobionta para englobar a ordem Rangeomorpha

Observação

O Termo "fauna ediacarana" pode também incluir os filos Petalonamae, Trilobozoa e Proarticulata.

Sub-Reino Animalia Incertae sedis

Sub-reino em que se encontram todos os animais sem classificação definida. Para mais informações ver a Taxonomia na Wikispecies

Amiskwia - Possivelmente um quetognato

Anabarites - Possivelmente um Trilobozoa

Arkarua - Possivelmente um equinodermo

Aspidella - Não se sabe se são cnidários da Classe Scyphozoa, colônias de microorganismos ou até mesmo fungos.

Classe Chitinozoa

Cornulitid

Dinomischus - Representante com Bioluminescência, que pareciam como "lampadinhas do mar", que piscavam e iluminavam [carece de fontes?]

Eoandromeda - Não se sabe se são equinodermos, ctenóforos, vendozoários ou até mesmo colônias de Protozoários Foraminíferos do Reino Protista

Hederellid - Possivelmente pertencentes ao filo Phoronida

Janoaspira - Não se sabe se são moluscos ou protozoários foraminíferos)

Mawsonites - Não se sabe se são cnidários ou colônias de microorganismos

Nectocaris - Curiosa mistura de artrópode com vertebrado

Odontogriphus - Um Lophotrochozoa Incertae Sedis, provavelmente um molusco

Ovastocutum - Não se sabe se são cnidários ou Proarticulata

Parvancorina - Provavelmente um artrópode

Spriggina - Provavelmente um artrópode aparentado com os trilobitas

Tamga - Provavelmente um Proarticulata

Tommotia - Provavelmente um stem-braquiópode

Tullimonstrum gregarium

Tumulduria

Vaveliksia - Possivelmente um porífero

Volborthella

Yuyuanozoon - Um Vetulicolia que possivelmente possa ser um protochordado com parentesco com os primeiros peixes Agnatha.

Bradgatia - Bentônicos,parecem até mesmo mais com pés-de-alface do que com animais

Explosão Cambriana

A Explosão cambriana ou câmbrica foi um evento na história da vida, registrado por fósseis depositados em extratos de cerca de 550 milhões de anos, durante o período Cambriano, quando subitamente houve uma explosão na biodiversidade do planeta. A maioria destes animais não deixaram descendentes, tendo muitos deles formas bastante diversas das encontradas nos animais modernos.

Folhelho Burgess

 

O Folhelho Burgess é um sítio, uma fonte de fósseis da Colúmbia Britânica, no Canadá que contém grande número de fósseis do período Cambriano médio extraordinariamente preservados, incluindo vários tipos de corpo mole (invertebrados), entre estes animais os quais evoluíram os cordados, como o Pikaia, advindo daí sua extrema importância na paleontologia.

 

Fauna ediacarana

 

Em Paleontologia, chama-se Biota Ediacarana a um grupo de fósseis encontrados nas Colinas Ediacara, no sul da Austrália, e em outros lugares, que parecem representar os primeiros organismos multicelulares, inclusive verdadeiros animais. Esses fósseis datam de cerca de 565 a 543 milhões de anos atrás, durante o período Ediacarano da era Neoproterozóica do éon Proterozóico, na escala de tempo geológico, precedendo em cerca de 20 milhões de anos a Explosão Cambriana que deu origem à diversificação das formas multicelulares.

Curiosidades

Para alguns biólogos, o Filo Vendozoa não pertence mais ao Reino Animal, e sim a um Reino à parte:O Reino Vendobionta, que também incluiria o Filo Petalonamae, onde se encontra a Ordem Rangeomorpha

Lista de gêneros da Biota Ediacarana

Lista de gêneros da biota ediacarana

Invertebrados do Éon Proterozóico

Artrópodes

Euriptéridos ou Escorpiões-Marinhos[editar]

Lista de euritéridos

Trilobitas

Trilobita

Os ancestrais de todos os artrópodes.

Lista de trilobitas

Límulos

Fósseis-vivos, os límulos existem até os dias de hoje.

Lista de límulos pré-históricos

Cnidários

Hexacorais

Lista de hexacorais pré-históricos

Medusozoa

Lista de medusozoários pré-históricos

Octocorais

Lista de octocorais pré-históricos

Moluscos

Amonites

Lista de amonites

Belemnites

Lista de belemnites

Gastrópodes Marinhos

Lista de gêneros de gastrópodes marinhos no registro fóssil

Nautilóides

Lista de nautilóides pré-históricos

Anelídeos

Lista de anelídeos pré-históricos

Briozoários

Lista de briozoários pré-históricos

Equinodermos

Lista de equinodermos pré-históricos

Poríferos

Lista de poríferos pré-históricos

Chitinozoa

Classe Chitinozoa

Lista de gêneros da Classe Chitinozoa

 

FÓSSEIS DE TRANSIÇÃO ENTRE INVERTEBRADOS E PEIXES

 

Haikouichthys.

Os primeiros peixes eram peixes Agnatha (Sem mandíbulas) que evoluíram a partir de invertebrados protochordados cephalocordados, como o anfioxo. Os peixes foram os primeiros vertebrados da face da Terra, apesar de o próprio nome "peixe" não possuir atualmente mais nenhum significado taxonômico, sendo um grupo taxonômico obsoleto. Não há consenso entre os cientistas sobre qual seria o primeiro peixe e vertebrado da face da Terra, visto há várias considerações diferentes. Além dos protochordados, os peixes podem ter parentesco e descendência direta também entre os quetognatos e os vetulicolia.

Pikaia - O ancestral de todos os peixes e vertebrados, é tido por vezes como o primeiro peixe. Atualmente, porém, é tido como um cephalocordado.

Metaspriggina

Conodonta - Classe de peixes pré-históricos que podem ter parentesco com os quetognatos.

Haikouichthys - Um cordado e craniata basal da família Myokunmingiidae. No documentário Walking with monsters é tido como o primeiro peixe.

Ostracodermos - Também são por vezes como os primeiros peixes.

Arandaspis - Também é tido como o primeiro peixe e vertebrado.

Myllokunmingia - Um cordado da família Myllokunmingiidae

Zhongjianichthys

Haikouella - Um cordado

Yunnanozoon - Um hemichordado

Yuyuanozoon - Um vetulicolia que pode ter parentesco com os primeiros peixes.

 

PEIXES

 

Modelo de um Materpiscis, um placodermo, no Museum Victoria, Australia

Os peixes foram os primeiros vertebrados da face da terra. Os primeiros peixes eram peixes Agnatha (Sem mandíbulas) e poderiam ter evoluído dos protochordados, quetognatos ou vetulicolia. Antigamente, a superclasse Osteichthyes era usada para designar os peixes ósseos. Atualmente, engloba todos os tetrápodes, visto que toda a super-classe tetrapoda está na classe Sarcopterygii, na sub-classe Tetrapodomorpha, os antecessores dos anfíbios e de todos os tetrápodes.

Para mais informações sobre esta taxonomia ver Wikispecies

Lista de grupos de peixes pré-históricos

Classe Anaspida

Classe Conodonta - Possível parentesco com os quetognatos. Às vezes tido como um filo à parte pela possibilidade de serem quetognatos e não cordados peixes Agnatha.

Ordem Protoconodonta

Ordem Paraconodonta

Ordem Euconodonta

Ostracodermos - Tidos como os primeiros peixes. às vezes são tidos como gnathostomados

Ordem Anaspida - Classe às vezes tida como ordem de ostracodermos

Ordem Coelopidida - Classe também conhecida por Thelodonti, às vezes tida como ordem de ostracodermos

Ordem Heterostraci - Classe às vezes tida como ordem de ostracodermos, às vezes como ordem de pteraspidomorphos

Ordem Osteostraci - Classe de cephalaspidomorphos às vezes tida como ordem de ostracodermos

Ordem Thelodontida - Grupo de Thelodonti às vezes tido como ordem de ostracodermos

Galeaspida - Grupo à parte de vertebrados Agnatha, às vezes tido como classe, às vezes como ordem

Cephalaspidomorphi - Seu único representante vivo atualmente é a lampréia. Atualmente são tidos como Craniata não-vertebrata à parte, assim como as mixinas.

Osteostraci

Anaspida - Classe às vezes tida como ordem de Cephalaspidomorpho ou ostracodermo

Pituriaspida - Às vezes tida como classe à parte de vertebrados Agnatha, às vezes como ordem, e às vezes, como um cephalaspidomorpha

Pteraspidomorphi

Thelodonti

Acanthodii

Lista de peixes acanthodii

Placodermos

Onychodontida

Tetrapodomorpha - Os antecessores dos anfíbios e de todos os tetrápodes

Osteichthyes[editar]

Lista de Osteichtyes Pré-Históricos

Peixes Cartiliginosos[editar]

Peixes de esqueleto composto apensa por cartilagem pertencente à Classe Chondrichthyes.

Lista de peixes cartiliginosos pré-históricos

Tetrapodomorpha

Grupo de peixes Sarcopterígios antecessores dos anfíbios e de todos os tetrápodes. Grupo em que se encontram todos os tetrápodes. O peixe Ventastega, que possuia membros no lugar de nadadeiras, foi a forma de trancissão do peixe Titaalik para o Acanthostega, sendo o antecessor de todos os tetrápodes. Em algumas classificações, o Acanthostega aparece como anfíbio, em outras, como tetrápode basal.

Galeria da evolução dos Tetrapodomorpha para Tetrápodes[editar]

Tetrápodes basais

Família Elginerpetontidae

Família Acanthostegidae

Família Ichthyostegidae

Hynerpeton

Família Whatcheeriidae

Família Crassigyrinidae

Família Loxommatidae

Família Colosteidae

Westlothiana (Um Reptiliomorpho)

 

ANFÍBIOS

 

Adelospondylus

Sub-classe Labyrinthodontia - Engloba também os Tetrápodes Basais e os Reptiliomorphos.

Ordem Ichthyostegalia

Família Acanthostegidae

Família Elpistostegidae

Família Ichthyostegidae

Família Whatcheeriidae

Ordem Temnospondyli

Sub-Ordem Euskelia

Sub-Ordem Dvinosauria

Sub-Ordem Limnarchia

Sub-Ordem Plagiosauria

Sub-Ordem Rhachitomi

Sib-Ordem Stereospondyli

Grupo Batrachomorpha - Ancestrais dos atuais anfíbios. Todos os anfíbios existentes atualmente pertencem à Sub-Classe Lissamphibia

Super-Ordem Reptiliomorpha

Sub-Classe Lepospondyli

Ordem Adelospondyli

Ordem Aïstopoda

Ordem Nectridea

Ordem Lysorophia

Ordem Microsauria

Família Acherontiscidae

Gênero Gerobatrachus - O elo-perdido entre os Temnospondyli e os Lissamphibia

Reptiliomorfos

Labirintodontes que se pareciam com répteis, esse grupo engloba todos os amniota: os répteis, que englobam atualmente todas as aves dentro (devido ao fato dos dinossauros serem os precursores das aves), e os sinapsídeos, ex-sub-classe de répteis que englobam todos os mamíferos.

OBS:Os "anfíbios" reptiliomorfos não são mais "anfíbios" verdadeiros, visto que são mais relacionados com os répteis do que com os anfíbios em si, visto que são uma transição dos anfíbios labirintodontes para os répteis anapsidas.O grupo de reptiliomorfos engloba todos os Amniota.

 

RÉPTEIS

 

Ainda que o termo réptil pré-histórico, por definição, remeta também aos dinossauros, que foram répteis que viveram na pré-história, costuma-se utilizá-lo para remeter às 3 outras ordens de répteis extintos que habitaram o planeta Terra no período pré-histórico: os ictiossauros, plesiossauros e os pterossauros, que ao contrário dos dinossauros podiam nadar e voar (execeto alguns dinossauros aviformes que talvez poderiam voar. O Protarchaeopteryx, antecessor do Archaeopteryx, a primeira ave, é por vezes tido como a primeira ave. Ambos não podiam voar, sendo que o Archaeopteryx podia apenas planar). O termo engloba também todos os outros répteis pré-históricos.

OBS: As aves também estão dentro da Classe Sauropsida, devido ao fato do grupo Avialae estar dentro da Super-Ordem Dinosauria. O mesmo ocorre com os mamíferos na Classe Synapsida (ex-sub-classe de répteis que atualmente é uma classe à parte)

Dinossauros

Super-ordem de répteis precursores das aves que engloba atualmente também todas as aves atuais, e por esse mesmo motivo, atualmente alguns cientistas querem o retirar do grupo dos répteis, criando um grupo próprio para eles, tal qual aconteceu com os sinapsídeos, por causa dos mamíferos.Tudo isso, porém, causa muita polêmica às pessoas que são contra a Teoria da Evolução.

O dinossauro mais antigo da face da terra conhecido até atualmente foi descoberto pela equipe de Paleontologia da ULBRA: o ULBRA PVT016, descoberto por Sérgio Furtado Cabreira [carece de fontes?].

Devido ao fato da ULBRA ser relativa à Igreja Luterana, isso levou um determinado impacto na pastoral da ULBRA.

Tecodonte é grupo taxonômico obsoleto que engloba todos os Arcossauros que não são nem dinossauros, nem crocodilianos, nem pterossauros. São, por esse motivo, todos os Crurotarsi que não pertencem à ordem Crocodilia. São os antepassados diretos dos crocodilos, dinossauros e aves, devido ao fato das aves serem descendentes dos dinossauros. Por esse motivo também, os crocodilos são mais aparentados com as aves do que todos os outros répteis atuais. Para mais informações sobre este assunto ver Crocodilomorphos em blog sobre animais pré-históricos

 

"PROTO-BIRDS"/DINOSSAUROS AVIFORMES

 

Grupo de dinossauros antecessores das aves e que engloba todas as aves.

Dinossauros Aviformes

Para mais informações sobre este assunto ver Site sobre a evolução das aves

Outras perspectivas[editar]

O parentesco entre aves e dinossauros é muito discutida pelos evolucionistas, gerando uma grande polêmica entre criacionistas não evolucionistas.

Perspectiva criacionista não-evolucionista sobre o parentesco entre aves e dinossauros

Perspectiva anti-evolucionista sobre o parentesco entre o Archaeopteryx e os dinossauros

 

AVES

 

Família †Dinornithidae (também conhecidas como Moas) - Extintas no século XVI (talvez foram extintas por motivos naturais sem a interferência humana, como doenças trazidas por aves migratórias ou por uma erução vulcânica, não há muita certeza sobre o assunto)

Águia-de-haast (ave de rapina diurna nativa da ilha do sul da Nova Zelãndia, extinta no século XV e descrita pelo geólogo alemão Julius von Haast em 1872 pelos fósseis encontrados na propriedade do colono George Moore.Foram extintas após a extinção das Moas, suas presas)

Dodô - ave extinta pelos colonos europeus das Ilhas Maurícias.

A Águia-de-haast teve uma extinção curiosa.Apesar de sua extinção ser relacionada à chegada dos maoris à Nova Zelândia à aproximadamente 1000 anos atrás, esse povo nunca caçou uma Águia-de-haast, pois a veneravam e até a pintavam em pinturas rupestres em cavernas.Mas, caçando intensamente as moas e outras presas da águia-de-haast, contribuíram indiretamente para sua própria extinção.

Tudo demonstra os efeitos inevitáveis que sempre ocorrem quando as pessoas alteram o equilíbrio ambiental.

Sinapsídeos

Synapsida era uma antiga sub-classe de répteis, mas atualmente faz parte de uma classe separada. São os antecessores dos mamíferos. É também o grupo em que se encontram todos os mamíferos.

Precursores dos mamíferos. Grupo de therapsídeos em que se encontram todos os mamíferos.

 

MAMÍFEROS

 

Tilacino (também conhecido por Tigre-da-Tasmânia ou Lobo-da-Tasmânia, apesar de ter sido extinto no século XX, até hoje ainda não se tem certeza de sua verdadeira extinção, havendo ainda quem afirme que ainda exista.)

Tigre-de-java (subespécie de tigre tida como extinta nos anos 1970, apesar de pairarem as mesmas dúvidas do que o Tilacino.)

Quagga (espécie de equino extinto relacionado com a zebra-da-planície, o último exemplar morreu no Zoológico de Amsterdã em 1833. Atualmente, porém, o projeto The Quagga Project fez com que os cientistas conseguissem recuperar a espécie geneticamente, que voltou à existir atualmente[carece de fontes?].) 

 

 

O Senhor te abençoe e te guarde; O Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti; O Senhor sobre ti levante o seu rosto e te dê a paz. Livro de Números, Capítulo 6, Versículos 22 ao 27: 


FLORES PARA TUA VIDA

 

http://youtu.be/_KONToq43vU

http://youtu.be/OYFcDhs96eo

http://youtu.be/8FO9kBPXxzU

http://youtu.be/-AIsA33LMh4

http://youtu.be/O5uB9J14h4k


PREVISÃO DO TEMPO, CLIK NOS LINKS ABAIXO:

http://www.climatempo.com.br/videos/sudeste


 

 

LEIA A BÍBLIA E ELA SE TORNARÁ

 O TEU AMULETO  E TALISMà

 

 


border = "0" align = "absmiddle" alt = "ExactSeek: Relevante Web Search">